Posts Tagged ‘Importante’

Pedido de oração

22/10/2010

Gostaria de pedir que vcs orem em favor de um grande amigo meu, Wendel Mattos. Ele tem apenas 32 anos, é musico no IASP e compositor de várias músicas como: Eu não preciso mais sonhar, da Riane, Somente a Ti, do Leonardo Gonçalves dentre outras. O Wendel luta contra um tumor cerebral há 3 anos e já passou por diversas cirurgias. E mesmo em meio a luta, ele não deixou de fazer a sua parte em prol da causa de Deus e seguiu com seu ministério. No momento ele está em coma no hospital e vem sofrendo muito. Não tem como explicar a angústia e o sofrimento que ele está passando… que Deus tenha compaixão e amenize tanto sofrimento. Oremos então por ele, por sua esposa e pela sua família para que Deus os conforte e que se for a vontade Dele, que um milagre se realize!
Segue um video que o Wendel fez dias antes de ser internado.
 

 
“A igreja de joelhos trará os céus à terra.” (E. M. Bounds)
 
Fique com Deus.
Abraços.
Kalincka

Um pedido especial

28/09/2010

Eu tenho um pedido de oração e queria muito que vocês orassem pela Lídia ( mãe do Narcizo e da Naiara Rocha do CJB).
No final de 2008 descobrimos que ela estava com câncer (maligno) no intestino. Foi feita a cirurgia nesse mesmo ano. Os médicos tiraram o câncer do intestino.
Quando fez a cirurgia do intestino, os médicos perceberam que tinha  um  tumor  no fígado. Como não podia fazer as 2 cirurgias no mesmo momento, fez a cirurgia no intestino , começou a tomar quimioterapia no início de 2009 e depois de 11 meses fez a cirurgia no fígado.
Depois de um mês da cirurgia, fez alguns exames para continuar a tomar quimioterapia e percebeu que o câncer estava nos dois pulmões.Chegou a tomar uma quimioterapia especial e ficava 3 dias internada no hospital.
Em junho de 2010 perceberam que a quimioterapia não estava adiantando e o câncer voltou para o Fígado. Agora ela está tomando outro tipo de quimioterapia.
Na semana passada, ela tava muito fraca , com muita tontura e com uma infecção. Nem chegou a tomar quimioterapia na 2º feira por causa desses sintomas. Os médicos pediram para ela fazer uma tomografia para saber o motivo disso. Hoje ( 28/09), à tarde, ela  fez a tomagrafia e saiu o resultado dizendo que ela está com um tumor na cabeça.
Conclusão: Só conseguiram tirar o câncer do intestino. Agora está no fígado, pulmão e cabeça.
 
Aparentemente quem a vê não percebe que ela está com todo esse problema. Não sabemos ainda se ela vai fazer outra cirurgia ou o que será feito daqui por diante. Sabemos que Deus é o médico dos médicos e estamos confiantes Nele .Esperamos que a vontade Dele seja feita na vida dela. Pedimos que inclua o nome da Lídia nas suas orações, porque muita oração, muito poder. Desde já, agradecemos pelas orações.
 
Naiara Rocha e família.

Independência individual – perigo!

24/09/2010

Vi o perigo em que o povo de Deus incorre ao olhar para o irmão e a irmã White, pensando que deve ir a eles com suas preocupações e em busca de conselho. Isso não deve ser assim. Eles foram convidados por seu compassivo e amoroso Salvador a ir a Ele quando cansados e sobrecarregados, e Ele os aliviará. … Muitos vêm a nós com a pergunta: Devo fazer isto? Devo envolver-me nesta empreitada? Ou, com relação ao vestuário: Devo usar este ou aquele artigo? Respondo-lhes: Vocês professam ser discípulos de Cristo. Estudem a Bíblia. Examinem cuidadosamente e com oração a vida de nosso querido Salvador quando habitava entre os homens na Terra. Imitem-na e não se desviarão do caminho estreito. Recusamo-nos absolutamente lhes servir de consciência. Se lhes dissermos exatamente o que fazer, vocês nos olharão como guias em lugar de irem diretamente a Jesus” (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 118, 119).

“Mas não devemos pôr a responsabilidade de nosso dever sobre outros, e esperar que eles nos digam o que fazer. Não podemos depender da humanidade quanto a conselhos. O Senhor nos ensinará nosso dever com tanta boa vontade como o faz a qualquer outro. … Os que decidem não fazer, em qualquer sentido, coisa alguma que desagrade a Deus, depois de Lhe apresentarem seu caso saberão a orientação que hão de tomar” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 668).

“Tem havido sempre na igreja os que estão constantemente inclinados à independência individual. Parecem incapazes de compreender que a independência de espírito é susceptível de levar o instrumento humano a ter demasiada confiança em si mesmo e em seu próprio discernimento, de preferência a respeitar o conselho e estimar altamente a maneira de julgar de seus irmãos” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 163).

Fonte: Lição da Escola Sabatina dos Adultos de 24 de setembro de 2010.

Ore pela Kayla

13/09/2010

Queridos amigos, a Kayla continua na uti por causa de um edema de glote que está inchando sua lingua também. Isso é causado por alergia a algum medicamento. Hoje foi retirado mais um medicamento pra ver se encontramos a solução.Ela só pode sair da respiração artificial quando isso estiver resolvido.  Sou muito grata a oração de todos vcs em favor dela. Por favor ergam as suas preces mais uma vez pra que esse problema tenha seu fim o mais rápido possível. Sei que posso contar com as orações de vcs. Mais uma vez Obrigada e que Deus te devolva em dobro as benção que temos recebido. 

Marina (mãe da Kayla)

Em busca do essencial

12/09/2010

Sábado, enquanto participava como palestrante no quarto dia do 15º Seminário de Administração, Contabilidade, Informática e Recursos Humanos da União Sul-Brasileira (USB) da Igreja Adventista do Sétimo Dia, fiquei maravilhado com o encadeamento não combinado dos temas de estudo, a começar pelo texto da Meditação Diária daquele dia. O pastor Rubem Scheffel escreveu (no ano passado) que “nos dias finais em que vivemos, chegamos a ficar surpresos quando nos deparamos com uma boa notícia nos jornais ou na televisão. Só se ouve falar de acidentes, homicídios, sequestros, atentados terroristas, enchentes, desabrigados e toda sorte de calamidades, tanto em nosso país como no estrangeiro”. Depois, como jornalista que é, avaliou: “Para a imprensa secular, a má notícia é que é a boa. É a que faz manchete e vende. O povo de Deus, porém, não precisa se abeberar dessas cisternas rotas. Não precisa e não deve ouvir programas de rádio ou televisão em que homicídios, assaltos e outras ocorrências violentas são dramatizadas com sensacionalismo e até com ironia, procurando tornar a tragédia ‘engraçada’. Não precisa e não deve ler jornais que destilam sangue e exploram o que há de pior na sociedade.”

E concluiu: “Há mais de cem anos, quando a situação do mundo era provavelmente cem vezes melhor do que a de hoje, Ellen White [aconselhou]: ‘Quando os jornais chegam em casa, quase desejo escondê-los, para que as coisas ridículas e sensacionais [sensasionalismo] não sejam vistas. […] Os que desejam ter a sabedoria que vem de Deus devem tornar-se néscios no pecaminoso conhecimento deste século, para serem sábios. Devem fechar os olhos, para não verem nem aprenderem o mal. Devem fechar os ouvidos, para que não ouçam o que é mau e não obtenham o conhecimento que lhes mancharia a pureza de pensamentos e de ação’ (O Lar Adventista, p. 404).”

Depois de meditar nesse texto, fui para o auditório me unir aos mais de 200 participantes do evento. Apresentei palestra sobre escolhas – escolher entre o essencial e o bom. Chamei atenção para o texto de Ellen White e testemunhei da experiência que vivo em meu lar. Desde que nossas filhas nasceram, minha esposa e eu decidimos não mais assistir a telejornais (praticamente os únicos programas de TV que ainda assistíamos). Nossas meninas terão bastante tempo para saber que este mundo não presta. Quando chego em casa, no fim da tarde, brincamos, lanchamos juntos, cada um toma seu banho e conversamos sobre o dia. A essas alturas, já passa das 20h e fazemos o culto familiar. As meninas gostam de cantar bastante. Depois oramos e lemos a Bíblia Ilustrada Para a Família (da CPB). Quando concluímos o culto, já é hora de dormir. Acredite-me: essa boa rotina faz toda a diferença na vida familiar. O dia termina em paz, sem o eco das notícias carregadas de sangue e violência que tiram a paz de qualquer um cuja mente ainda não esteja amortecida pela constante exposição a esse tipo de conteúdo. (Sinceramente, não consigo entender as pessoas que se deleitam em assistir programas que vivem de mostrar as mazelas, engarrafamentos das grandes cidades e crimes de toda espécie. O que elas ganham com isso? Que relevância têm essas informações, esse espetáculo macabro?)

Em minha palestra lá em Santa Catarina, procurei avançar um passo além. Imaginando que os líderes que me ouviam já tinham consciência de que não devemos ficar ciscando no lixo midiático, procurei deixar claro que, embora também existam coisas relevantes que são exibidas em alguns (poucos) programas de TV, elas não devem competir com o essencial. Mas o que é esse essencial? Já chego lá.

Depois da minha palestra, o presidente da USB, pastor Marlinton Lopes, e os presidentes das sedes administrativas da Região Sul nos ajudaram a recapitular a lição da Escola Sabatina. O tema: escolhas. Parecia tudo combinado mesmo (se a lição não fosse preparada anos antes de ser traduzida e publicada em cada país). Mas teve mais: o pastor Odaílson Fonseca, diretor da TV Novo Tempo, também falou sobre… escolhas.

À tarde, apresentei outra palestra sobre como devemos nos relacionar com os meios de comunicação, e levei os participantes a pensar na seguinte citação de Viktor Frankl, ex-professor de Neurologia e Psiquiatria da Universidade de Viena: “Vivemos numa sociedade de superabundância; essa superabundância não é somente de bens materiais, mas também de informações, uma explosão de informações. Cada vez mais livros e revistas se empilham sobre as nossas escrivaninhas. Vivemos numa enxurrada de estímulos sensoriais, não somente sexuais. Se o ser humano quiser subsistir ante essa enxurrada de estímulos trazida pelos meios de comunicação de massa, ele precisa saber o que é e o que não é importante, o que é e o que não é essencial, em uma palavra: o que tem sentido e o que não tem” (A Presença Ignorada de Deus, p. 70).

E o que é essencial, afinal? Paulo nos dá a dica: “Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra” (Colossenses 3:2). As “coisas do alto” são o essencial e merecem o melhor de nosso tempo e dedicação. Deus, a família e os valores eternos – isso é o que realmente importa e estará conosco para sempre.

Fonte: Michelson Borges

Beber demais causa envelhecimento precoce

27/07/2010

Cientistas italianos descobriram mais um efeito negativo do consumo excessivo de álcool: o envelhecimento precoce. De acordo com os pesquisadores da Universidade de Milão, a bebida acelera o processo natural de envelhecimento das células – e pode também aumentar as chances de desenvolvimento de câncer. O estudo mostra que o álcool causa inflamações nos telômeros – longas fitas de DNA que formam as extremidades dos cromossomos. Os telômeros tornam-se mais curtos a cada divisão celular. Naturalmente, com o passar dos anos, ficam tão curtos que impedem a divisão das células – o que as danifica seriamente ou até mesmo destrói. Esse processo é conhecido como “envelhecimento replicativo.”

O consumo excessivo de álcool, segundo os pesquisadores, acelera o processo de “encurtamento” dos telômeros. Como tal diminuição é também a causa de alguns tipos de câncer, os cientistas alertam para o fato de que a bebida pode contribuir para o surgimento da doença.

“Pessoas que bebem em demasia costumam ter o olhar abatido e frequentemente têm a aparência envelhecida. Eles também costumam desenvolver doenças típicas do envelhecimento ainda jovens”, explica Andrea Baccarelli, cientista que liderou o estudo.

Durante o estudo, os cientistas dividiram em dois um grupo de 250 voluntários – todos tinham idades e características físicas semelhantes. Os participantes do primeiro grupo bebiam mais do que quatro doses de álcool por dia. Os resultados mostraram que o comprimento dos telômeros foi drasticamente reduzido nesses voluntários. Em alguns deles, o comprimento dos telômeros caiu quase a metade.

A pesquisa foi apresentada na conferência anual da Associação Americana de Pesquisa do Câncer.

(Veja)

Nota: Pelo visto, o mito do calicezinho diário de vinho para promover a longevidade era apenas isto mesmo: mito. E se alguém quiser argumentar dizendo que uma pequena dose não faz mal, é bom lembrar que nenhum alcoólatra começou bebendo uma garrafa por dia. Por que arriscar?

Fonte: Débora Borges

Cristãos ou evangélicos?

30/06/2010

Recentemente, a esposa do jogador Kaká, Caroline Celico, disse à imprensa que não gosta de dizer que é evangélica, mas cristã. Não sei se ela conhece exatamente as nuances entre uma e outra palavra. Mas, quando li isso, me lembrei de uma palestra apresentada anos atrás pelo pastor e escritor George Knight, durante a qual ele respondeu à pergunta: Os adventistas são evangélicos? Ele respondeu: “Não me preocupo se somos evangélicos. Devemos, sim, é ser bíblicos.” Atualmente, o nome “evangélico” está muito desgastado. Geralmente, ele evoca a imagem de pessoas alienadas, fanáticas, adeptas da teologia da prosperidade ou de uma religiosidade meramente emocional e divorciada da realidade cultural que as rodeia; religião que prega o reino de Deus aqui e agora e a Parousia para o futuro distante; a graça barata da qual falou Bonhoeffer; a salvação sem cruz e nem juízo; o povo do “Cara” lá de cima e não do Deus Criador que, a despeito de ser Pai amoroso, também inspira reverência e profundo respeito. Muitos evangélicos sinceros têm se mostrado preocupados com o dogmatismo antibíblico que contamina o viver religioso de multidões que dizem amar a Bíblia quando paradoxalmente quase não a abrem para ler e muito menos a estudam.

Ser cristão é amar a Palavra de Deus e incorporá-la ao dia-a-dia; é fazer dela o padrão, a norma de fé e conduta; e para isso é preciso conhecê-la profundamente. Mas tem mais: Jesus é a Palavra de Deus feita carne e ossos. É o Verbo justamente pelo fato de ser o Ser da Trindade que veio ao mundo falar do Deus de amor que ama tanto que deixou instruções claras em Sua Palavra; instruções essas que, se vividas, nos dão paz, esperança e vida em abundância – mesmo deste lado da eternidade. A Bíblia fala de Jesus; devemos lê-la para encontrá-Lo. Jesus é uma pessoa e com pessoas a gente se relaciona. Estudo bíblico sem relacionamento com Jesus é conhecimento vazio que não transforma. Relacionamento sem o estudo bíblico é perigoso, afinal, como saber com quem estamos nos relacionando?

Ser cristão é amar e obedecer a Cristo; é seguir Seus passos, guardar Seus mandamentos. É pregar o evangelho e, se necessário, como disse Francisco de Assis, usar palavras. Ser cristão adventista do sétimo dia é amar tanto a Jesus que a saudade dEle aperta o peito e nos impele a pregar Sua vinda para abreviar esse encontro – mas também por amar as pessoas e querer ajudá-las a encontrar o sentido da vida e a esperança das esperanças. O sentido da vida consiste em saber que sou criatura e Deus é Criador; que somente no encontro entre ambos o vazio é preenchido, pois foi o Senhor quem colocou no coração do ser humano o anseio pela eternidade (Ec 3:11).

Se ser evangélico é seguir e anunciar a mensagem do evangelho (e o evangelho é Jesus), eu sou. Se ser Cristão é amar a Jesus de todo o coração e falar dEle como o primeiro e o último em minha vida, sou cristão. Menos que isso seria fraude, anomalia, incoerência.

Michelson Borges

Além das orações comuns

21/06/2010

“…Vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas.”

Mateus 6:32.

“Em Mateus 6:31 a 33, Jesus nos ensina a não nos preocupar com as necessidades básicas da vida: o que comer, beber ou como nos vetir. Jesus não disse que nossas coisas não são importantes para o Pai ou que não deveríamos pedir que ele suprisse nossas necessidades. Jesus afirma que nosso Pai do céu já sabe o que precisamos até antes de lhe pedirmos. Além de conhecê-las, nosso Pai promete suprí-las todas da mesma maneira que ele supre as necessidades das aves. Quando chegamos diante do Pai não necessitamos bombardeá-lo com nossas necessidades primárias. A grande lição desses versos é a nossa prioridade na oração. Não podemos deixar que a nossa mente se preocupe ou se aborreça com as necessidades básicas da vida. A preocupação é pecado, porque na sua raiz existe uma falta de fé no amor do Pai por nós, ou medo de que ele deixe de prover para as nossas necessidades. Quando oramos não precisamos tentar forçar um Deus relutante a ouvir-nos com a urgência das nossas palavras. A chave para termos nossas necessidades supridas encontra-se nas palavras de Jesus em Mateus 6:33: “Mas buscai primeiro o reino de Deus, e sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas”. Quando sabemos que o Pai nos ama e está ciente de nossas necessidades, estabelecemos o nosso foco em buscá-Lo. Nossa prioridade ao orar estará no Pai e em ver que sua vontade e seu plano sejam cumprdos na nossa vida e na terra. A oração que vai além do comum é muito mais do que pedir coisas para Deus. É um relacionamento vivo com Deus. A partir daí passamos a buscar o Senhor das coisas, não apenas as coisas do Senhor.”

Fonte: Pr. Itaniel Silva

Amor em ação

21/01/2010

Considere estas palavras: “Tive fome, e vocês formaram um clube de humanidades para discutir o problema. Fui preso, mas vocês reclamaram da taxa de criminalidade. Estava nu, e vocês debateram de Minha aparência. Estive doente, e vocês agradeceram a Deus por sua saúde. Estive sem teto, e vocês pregaram para Mim sobre o abrigo do amor de Deus. Vocês parecem tão santos e tão perto de Deus; mas ainda estou com fome, solitário, com frio e em dor.”

 Isso tem importância?

 Quem é o meu próximo?

Fonte: Lição da Escola Sabatina dos adultos, quinta, 7 de janeiro de 2010.

Porque a vida é agora!

21/06/2009

Aí um dia você toma um avião para Paris, a lazer ou a trabalho, em um vôo da Air France, em que a comida e a bebida têm a obrigação de oferecer a melhor experiência gastronômica de bordo do mundo, e o avião mergulha para a morte no meio do Oceano Atlântico.
Sem que você perceba, ou possa fazer qualquer coisa a respeito, sua vida acabou. Numa bola de fogo ou nos 4 000 metros de água congelante abaixo de você naquele mar sem fim.
Você que tinha acabado de conseguir dormir na poltrona ou de colocar os fones de ouvido para assistir ao primeiro filme da noite com o cobertorzinho do avião sobre os joelhos.
Talvez você tenha tido tempo de ter a consciência do fim, de que tudo terminava ali. Talvez você nem tenha tido a chance de se dar conta disso. Fim.

Tudo que ia pela sua cabeça desaparece do mundo sem deixar vestígios, como se jamais tivesse existido. Seus planos de trocar de emprego ou de expandir os negócios. Seu amor imenso pelos filhos e sua tremenda incapacidade de expressar esse amor. Seu medo da velhice, suas preocupações em relação à aposentadoria. Sua insegurança em relação ao seu real talento ou quanto às chances de sobrevivência de suas competências nesse mundo que troca de regras a cada seis meses. Seu receio de que sua mulher, de cuja afeição você depende mais do que imagina, um dia lhe deixe. Ou pior: que permaneça com você infeliz, tendo deixado de amá-lo. Seus sonhos de trocar de casa, sua torcida para que seu time faça uma boa temporada. Suas noites de insônia, essa sinusite que você está desenvolvendo. Os planos de voltar à academia, a grande contabilidade (nem sempre com saldo positivo) dos amores e dos ódios que você angariou e destilou pela vida, as dezenas de pequenos problemas cotidianos que você tinha anotado na agenda para resolver assim que tivesse tempo. Bastou um segundo para que tudo isso fosse desligado. Para que todo esse universo pessoal que tantas vezes lhe pesou toneladas tenha se apagado. Como uma lâmpada que acaba e não volta a acender mais. Fim.

Então, aproveite bem o seu dia. Extraia dele todos os bons sentimentos possíveis. Não deixe nada para depois. Diga o que tem pra dizer. Demonstre. Seja você mesmo. Não guarde lixo dentro de casa. Não cultive amarguras e sofrimentos. Prefira o sorriso. Dê risada de tudo, de si mesmo. Não adie alegrias nem contentamentos nem sabores bons.

Seja feliz hoje, mas valorize a sua vida eterna!

“Alegra-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas as coisas Deus te pedirá contas. Afasta, pois, do teu coração o desgosto e remove da tua carne a dor, porque a juventude e a primavera da vida são vaidade.” Eclesiastes 11:9 e 10.

Pense nisso…

Uma ÓTIMA SEMANA!

Artigo da revista Exame (com adaptações)