Alimentação equilibrada

“Se pudéssemos obter qualquer benefício da condescência com o desejo de alimentos cárneos, eu não lhes faria este apelo. Mas sei que tal não ocorre. A alimentação cárnea é prejudicial ao bem-estar físico e devemos aprender a passar sem ela. Os que estão em condições de seguir o regime vegetariano, mas atêm-se às suas preferências, comendo e bebendo o que lhes apraz, aos poucos se tornarão descuidosos das instruções que o Senhor lhes deu no tocante às outras verdades e serão por fim incapazes de as entender, colhendo o que semearam.
Aos alunos de nossas escolas não se deve servir carne nem quaisquer outros alimentos que se sabe serem prejudiciais. Nada que possa promover o apetite pelos estimulantes deve ser posto à mesa. Apelo aos idosos, aos jovens e os adultos em geral. Não sastifaçam seu apetite com o que lhes pode causar dano. Sirvam ao Senhor com sacrifício…
Muitos há que sentem não poder permanecer por muito tempo sem o consumo de alimentos cárneos; mas se essas pessoas se colocarem do lado do Senhor, absolutamente resolvidas a andar no caminho pelo qual Ele deseja guiá-las, receberão força e sabedoria, como sucedeu a Daniel e seus companheiros. Verão como o Senhor lhes pode dar bom discernimento, e se surpreenderão ao ver quanto pode ser poupado para a obra de Deus pelos atos de renúncia. As pequenas somas, poupadas por atos de sacrifício farão mais para o sustento da obra de Deus do que os grandes donativos feitos sem renúncia (Testemunhos Para a Igreja, v.9,p.156-158).
É possível comer sem moderação, mesmo os alimentos saudáveis. Não se deve pensar que, pelo fato de haver alguém abandonado o consumo de artigos prejudiciais do regime alimentar, deva comer tanto quanto lhe aprouver. Alimentar-se em excesso, não importando a qualidade do alimento, atrapalha o organismo vivo e influi assim em seu trabalho (Conselhos Sobre Saúde, p.119).
Alguns de nosso povo, ainda que se abstenham conscienciosamente de alimentos impróprios, deixam, entretanto, de suprir-se dos elementos necessários ao sustento do corpo. Nutrindo ideias exageradas a respeito da reforma de saúde, correm o risco de preparar pratos tão insípidos que não satisfazem o apetite. É necessário preparar o alimento de modo a ser não só apetitoso, como substancial. Não se deve subtrair ao corpo o que ele necessita. Eu uso sal e sempre usei, porque o sal é realmente essencial para o sangue. Os vegetais podem se tornar mais saborosos com um pouco de leite, nata, ou algo equivalente.
Posto que se tenha advertido contra o perigo de contrair enfermidades pelo uso de manteiga e conta os males provenientes do uso abundante de ovos por parte das crianças, não devemos considerar violação do princípio, usar ovos de galinhas bem tratadas e convenientemente alimentadas. Os ovos contêm propriedades que são agentes medicinais neutralizantes de certos venenos.
Abstendo-se de leite, ovos e manteiga, alguns deixaram de prover ao organismo o alimento necessário e, em consequência, se enfraqueceram e ficaram incapacitados para o trabalho. Assim é que a reforma de saúde perde seu prestígio. A obra que temos procurado construir solidamente, é confundida com coisas estranhas que Deus não exigiu, e as energias da igreja são enfraquecidas. Mas Deus intervirá para evitar os resultados das ideias tão extremadas. O evangelho tem por alvo harmonizar a humanindade pecaminosa. Seu fim é levar ricos e pobres, conjuntamente, aos pés de Jesus (Testemunhos Para a Igreja,v.9,p.161,162).”

Fonte: Comentários de Ellen G. White sobre a Lição da Escola Sabatina dos Adultos, p.83,84,85.

Tags: , ,


%d blogueiros gostam disto: