O ambiente do sábado

“O sábado foi dado a toda humanidade para comemorar a obra da criação. O grande Jeová, quando lançou os fundamentos da Terra, quando revestiu o mundo do inteiro de beleza e criou todas as maravilhas da terra e do mar, instituiu o dia do sábado e o santificou. Quando as estrelas da alva juntas cantavam, e rejubilavam todos os filhos de Deus, o sábado foi posto à parte como memorial de Deus. O Senhor santificou e abençoou o dia em que descansara de toda a Sua maravilhosa obra. E esse sábado santificado por Deus, devia ser guardado como concerto perpétuo. Era um monumento comemorativo que devia permanecer de século a século, até o fim da história terrestre (Exaltai-O, p.53).

O Sábado foi santificado na criação. Como foi estabelecido para o homem, teve sua origem “quando as estrelas da alva, juntas, alegremente cantavam, e rejubilavam todos os filhos de Deus” (Jó 38:7). A paz envolvia o mundo; pois a Terra estava em harmonia com Céu. “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom” (Gn 1:31); e Ele descansou na alegria de Sua obra concluída.

Porque descansou no sábado, abençoou Deus o dia sétimo e o santificou” (Gn 2:3) – separou-o para uso santo. Ele o deu para Adão como um dia de descanso. Era o memorial da obra da criação, e portanto um sinal de poder de Deus e Seu amor. A Escritura diz, Ele fez memoráveis as Suas maravilhas”; “pelas coisas que estão criadas, são declaradas “as Suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o Seu eterno poder como a Sua divindade” (Sl 111:4; Rm 1:20).

Todas as coias foram criadas pelo Filho de Deus. “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus. … Todas as coisas foram feitas por intermédio dEle, e, sem Ele, nada do que foi feito se fez” (Jo 1:1-3). Visto que o sábado é um memorial da obra da criação, é um sinal do amor e poder de Cristo.

O sábado atrai nossos pensamentos para a natureza, e nos traz à comunhão com o Criador. No canto do pássaro, sussurro das árvores, e música do mar, podemos ainda ouvir Sua voz que falou com Adão no Éden no frescor do dia. E quando contemplamos Seu poder na natureza, achamos conforto, porque a Palavra que criou todas as coisas é aquela que comunica vida para a alma. Aquele “que disse Das trevas resplandecerá a luz, Ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo” (2Co 4:6; Review and Herald, 18 de agosto de 1910).

Os judeus acusaram Cristo de pisotear o sábado, quando Ele estava somente buscando restaurá-lo ao seu caráter original. As interpretações dadas à Lei pelos rabinos, todas as minuciosas e opressivas exigências, estavam desviando o sábado de seu objetivo verdadeiro, e dando ao mundo uma concepção falsa da Lei divina, e do caráter de Deus. Seu ensinos virtualmente representavam Deus como dando leis que eram impossíveis de serem obedecidas pelos judeus e muito mais por qualquer outro povo. Desse modo em sua mundanidade, separados de Deus em espírito enquanto pretensamente O serviam, eles estavam fazendo exatamente a obra que Satanás desejavam que fizessem – seguindo a direção que depreciava o caráter de Deus e levava o povo a vê-Lo, como um tirano; pensar que a observância do sábado, como Deus a requeria, tornava o homem desumano, insansível, e cruel” (General Conference Bulletin, 5 de março de 1895).

Anúncios

Tags: , ,


%d blogueiros gostam disto: