A prática da liberdade 5/5

bibliaAlém do meu momento diário de retiro, meu encontro com Deus, procuro dispor de uma hora por semana para fazer um inventário espiritual. Lápis na mão, trato de avaliar o passado, pôr por escrito qualquer coisa que Deus me esteja ensinado e planejar objetivos para o futuro. Faço o possível para dispor também de um dia por mês para fazer um inventário semelhante de largo alcance. Freqüentemente não o consigo. O irônico da situação é que quanto mais ocupados estamos, tanto mais necessitamos desse tempo; mas também é mais difícil tomá-lo. Como o fanático que, quando não está muito seguro da direção que toma, opta por aumentar a velocidade. E pode ser que até nosso frenético serviço “para Deus” não seja senão uma forma de escaparmos de Deus. Quando consigo dispor de um dia assim, o pensamento em atitude de oração me provê de uma perspectiva renovada de meu trabalho.

Com o passar dos anos, a luta mais difícil e contínua em minha vida cristã tem sido a de dispor do tempo necessário para uma diária espera em Deus, um inventário semanal e um planejamento mensal. Como este assunto é tão importante, Satanás fará quanto for possível de seu parte para que o eliminemos de nossa vida. Sem dúvida, sei por experiência que esta é a única forma pela qual posso escapar da tirania do urgente. Foi assim que meu Senhor teve êxito. Cristo não pôde terminar todas as coisas urgentes que havia por fazer na Palestina, nem tudo o que gostaria de fazer, porém terminou “a obra que Lhe deu o Pai para que fizesse”, o que Deus havia encomendado. A única alternativa à frustração é estarmos seguros que estamos fazendo o que Deus quer. Nada pode substituir a certeza de que neste dia, hora e lugar estou fazendo a vontade de meu Pai. Então, e só então, posso pensar em todas as tarefas inconclusas e dexá-las a Deus.

Tempos atrás, as balas dos simbas tiraram a vida de um jovem médico missionário na África, Paul Carlson. Sem dúvida, na providência de Deus, sua vida era uma obra acabada. A maioria de nós viveremos mais que ele e morreremos de forma menos acidentada. Porém, quando vier o fim, nada poderá dar-nos mais gozo que estarmos seguros que terminamos a obra que Deus nos encomendou. Pela graça de nosso Senhor Jesus Cristo isto é possível. Ele prometeu libertar-nos do pecado, e esta libertação inclui também serviço a Deus, o qual depende de capacitação e direção. O caminho está claro: se permanecemos em Sua Palavra, somos verdadeiramente Seus discípulos e Ele nos libertará da tirania do urgente para que possamos fazer o importante, que é a vontade de Deus.

Existem três razões pelas quais o cristão necessita de uma hora fixa e sozinho durante o dia: para o estudo das Escrituras, para a oração e para a intercessão. As três devem estar presentes em seu tempo diário de  meditação.

O que afeta a sociedade atual é que os homens elites estão tão sobrecarregados de responsabilidades e tarefas que não têm tempo para refletir e meditar. A multidão espera tudo de alguns homens  sobrecarregados de tarefas.

Charles Hummel

Tags: , , , ,

Uma resposta to “A prática da liberdade 5/5”

  1. Josy Clara Says:

    É… não sabemos o dia de amanhã, nem daqui uma hora, nem daqui um minuto o que pode vir a nos acontecer… Todos os dias temos que ter um contato com o Pai e com as pessoas que amamos… Feliz sábado a todos!!!

Os comentários estão desativados.


%d blogueiros gostam disto: